Universo dos Cartões
0%

Voa Brasil: Em Breve, Viagens por R$ 200 com o Lançamento do Serviço

Voa Brasil: Em Breve, Viagens por R$ 200 com o Lançamento do Serviço

Voa Brasil: Democratização das tarifas aéreas em foco.

Recentemente, o Ministro dos Transportes e Aviação, Marcio França, anunciou o lançamento do Voa Brasil, uma inovação destinada a tornar as passagens aéreas mais acessíveis para todos. Ele prevê o início do programa ainda para este mês.

Metas do Voa Brasil

Ler também: Saiba tudo sobre o Valores a Receber

O programa ambiciona tornar os bilhetes aéreos mais alcançáveis para todos, prevendo um valor médio de R$ 200 por trecho. Além disso, inicialmente, ele pretende atender principalmente a aposentados e pensionistas.

Em uma declaração à mídia, Marcio França afirmou que o Voa Brasil tem lançamento previsto para o final de agosto. Ele também marcou presença na cerimônia de abertura da 17ª edição da Mariner Expo – Exposição e Conferência Marítima, no Rio de Janeiro.

Funcionamento do Voa Brasil

Através deste projeto, o governo tomará a iniciativa de administrar os bilhetes não vendidos por companhias aéreas, em especial fora do período turístico. Os beneficiários acessarão um aplicativo onde poderão adquirir até duas passagens anualmente, levando um acompanhante em cada trecho.

“Se o indivíduo não viajou no último ano, ele poderá adquirir quatro passagens. Dado o grande número de beneficiários, iniciaremos gradativamente. A prioridade será para aposentados e pensionistas”, esclareceu França.

Colaboração com o Ministério do Turismo

O Voa Brasil atuará em parceria com o Ministério do Turismo, conforme orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O plano é que estabelecimentos hoteleiros também proponham descontos em períodos menos concorridos, recepcionando os turistas do programa.

Para lidar com a demanda crescente de viajantes, os aeroportos precisarão de adaptações. Conforme as estimativas ministeriais, serão disponibilizadas no mínimo 50 mil passagens mensalmente pelo valor de R$ 200.

Situação da 123Milhas

A situação da 123Milhas também veio à tona na fala de França. Ele está em conversações com Flavio Dino, Ministro da Justiça e Segurança Pública, e o Ministério do Turismo em busca de soluções.

Na sexta-feira (18), a 123Milhas declarou que interrompeu a venda de passagens para viagens entre setembro e dezembro do ano corrente. Eles asseguraram que reembolsarão os clientes com vouchers de compras na plataforma.

A Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon) demandou esclarecimentos da empresa. De acordo com a secretaria, a empresa deve garantir um reembolso justo e a escolha por vouchers não deve ser compulsória.

Descredenciamento da 123Milhas no Cadastur

A retirada da empresa do Cadastur – registro oficial para entidades e negócios no setor turístico – aconteceu devido aos cancelamentos recorrentes de pacotes e à interrupção da emissão de bilhetes da linha “PROMO”. Os clientes afetados receberão reembolso via vouchers.

Adicionalmente, Celso Sabino solicitou ao Ministério da Justiça uma apuração sobre a 123Milhas. A retirada da 123Milhas do Cadastur é um sinal de alerta, exigindo uma inspeção detalhada.

O inquérito

Importa mencionar que a Senacan, em colaboração com o Ministério do Turismo, está averiguando as práticas comerciais da 123Milhas e de empresas afins, como a Hurb.

Diversos consumidores se sentiram lesados com a decisão da empresa de cancelar os pacotes. Em contrapartida, a 123Milhas se comprometeu a oferecer vouchers para estes clientes, possibilitando novas aquisições em diferentes seções do seu portal.

A revogação dos pacotes turísticos

Ler também: Desenrola Brasil: Renegociações de Dívidas Antecipadas por Grandes Lojas

A anulação dos pacotes vendidos pela 123Milhas gerou controvérsias. A justificativa oficial para o cancelamento foi a impossibilidade de honrar os serviços pelo preço acordado.

Estes pacotes promocionais propunham tarifas reduzidas para voos e hospedagem. Porém, alguns não apresentavam uma data fixa de viagem, dependendo da busca da empresa por dias mais econômicos. Com o surto de demanda pós-pandemia, a inflação em setores como a aviação começou a encarecer o valor total das viagens.

Implicações e diretrizes futuras

A exclusão da 123Milhas do Cadastur e o subsequente inquérito suscitam dúvidas sobre o modelo de negócio da empresa. A repercussão no segmento turístico e seu impacto nos clientes são pontos de atenção.

À medida que a investigação avança, é essencial que os clientes impactados recebam compensação justa. Assim, deve-se assegurar que situações análogas sejam evitadas.

A exclusão e o exame da 123Milhas reforçam que a transparência e a ética empresarial são vitais para a fidelização do cliente e a prosperidade contínua.