Teve o Bolsa Família bloqueado? Saiba como reativá-lo

Teve o Bolsa Família bloqueado? Saiba como reativá-lo

Milhões de brasileiros recebem o Bolsa Família a cada mês. Esse proeminente programa de transferência de renda pagou aproximadamente 20,9 milhões de beneficiários em julho, e espera-se que a contagem continue similar em agosto.

Mensalmente, o governo federal realiza uma rigorosa análise, um “pente fino”, nos registros do Bolsa Família. Em essência, o foco dessa ação é excluir da folha de pagamento os usuários que não atendem mais às normas definidas pelo programa social.

Dessa forma, inúmeras famílias entram em pânico quando recebem notificações de bloqueio do benefício. Muitas estão incertas sobre como reverter essa situação e reativar o auxílio. Se este é o seu caso, não se alarme. Neste artigo, você aprenderá como recuperar o Bolsa Família e retomar os recebimentos mensais.

Como reativar o Bolsa Família?

Ler também: Bolsa Família: Novas opções de empréstimo disponível pelo Caixa Tem

Aqueles cujo benefício foi bloqueado devem visitar um centro do Cadastro Único (CadÚnico) ou um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) para atualizar seus dados cadastrais. Frequentemente, o bloqueio acontece por desatualização desses dados registrados no CadÚnico.

Ademais, os beneficiários que sofrerem o bloqueio do Bolsa Família verão uma mensagem no extrato bancário. Também se pode verificar a situação através do aplicativo Caixa Tem, que permite ainda movimentar os valores do auxílio.

Quão extenso é o bloqueio do benefício?

Quem tem o Bolsa Família bloqueado deve agir rapidamente para reverter essa condição. Em média, o tempo de desbloqueio é de 90 dias, ou três meses. As famílias voltarão a receber as parcelas após atualizarem os dados e se continuarem cumprindo os critérios do benefício.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, os que conseguirem reverter o bloqueio e retomarem o recebimento regular terão direito a um valor retroativo pelos meses bloqueados. Isso serve como um incentivo adicional para tentar reverter a situação.

O Bolsa Família pode ser cancelado

É importante notar que é possível reverter o bloqueio do Bolsa Família. Contudo, o cancelamento do benefício é irrevogável. Abaixo, as três principais razões para o cancelamento:

  1. Inconsistência de dados cadastrados: Principalmente relacionada à renda familiar. O governo cancela o benefício se descobre informações falsas.
  2. Desatualização cadastral: Se os dados não forem atualizados a cada dois anos, o benefício pode ser cancelado.
  3. Regra de Proteção do Bolsa Família: Se a renda familiar superar um limite específico, o benefício é cancelado após dois anos de pagamentos parciais.

Exigências para manter o benefício

Os usuários do Bolsa Família devem atender a requisitos para manter a elegibilidade:

  • Acompanhar pré-natal;
  • Seguir o calendário de vacinação;
  • Monitorar estado nutricional de crianças menores de 7 anos;
  • Garantir frequência escolar mínima para crianças e adolescentes;
  • Atualizar o Cadastro Único a cada dois anos.

Calendário de pagamentos de agosto

Ler também: Desenrola Brasil: Renegociações de Dívidas Antecipadas por Grandes Lojas

Já divulgaram o cronograma de pagamentos de agosto de 2023. A Caixa realiza os pagamentos nos dez últimos dias úteis, conforme o último dígito do NIS:

  • NIS de final 1: dia 18 de agosto (sexta-feira);
  • NIS de final 2: dia 21 de agosto (segunda-feira);
  • NIS de final 3: dia 22 de agosto (terça-feira);
  • NIS de final 4: dia 23 de agosto (quarta-feira);
  • NIS de final 5: dia 24 de agosto (quinta-feira);
  • NIS de final 6: dia 25 de agosto (sexta-feira);
  • NIS de final 7: dia 28 de agosto (segunda-feira);
  • NIS de final 8: dia 29 de agosto (terça-feira);
  • NIS de final 9: dia 30 de agosto (quarta-feira);
  • NIS de final 0: dia 31 de agosto (quinta-feira).

Finalmente, os beneficiários podem acessar o valor através do aplicativo Caixa Tem. Porém, aqueles que desejarem retirar o dinheiro em espécie podem ir a uma agência bancária.