Loading...
0%

Quem é elegível para a parcela extra do Bolsa Família? Descubra aqui

Quem é elegível para a parcela extra do Bolsa Família? Descubra aqui

Neste junho, um pagamento extra está sendo iniciado para um novo grupo beneficiário no programa Bolsa Família. Famílias que recebem R$ 600, e que contam com grávidas, crianças ou adolescentes entre 7 e 18 anos, começarão a receber um adicional de R$ 50 por indivíduo que se enquadre nestas condições.

Com a introdução desta adição ao Bolsa Família, estima-se um total de 24,7 milhões de pagamentos extras, gerando um custo de R$ 2,1 bilhões mensais para os cofres públicos. Lembra-se que, em março, já havia sido introduzido um adicional de R$ 150 para crianças com até seis anos.

Segundo informações divulgadas pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), 147,7 mil crianças receberam a parcela adicional em março de 2023, somando 9,04 milhões de beneficiários. Atualmente, o programa social abrange 21,25 milhões de famílias.

Confira o valor médio do Bolsa Família

O governo federal projeta que, em junho, com todos os adicionais sendo pagos, o valor médio do Bolsa Família será de cerca de R$ 714. No mês anterior, a média de pagamento foi de R$ 672,45. É relevante ressaltar que o benefício mínimo por família é de R$ 600, porém, o montante recebido depende da composição familiar, já que alguns beneficiários têm direito a parcela adicional.

Para os novos beneficiários, após a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico), é crucial verificar os canais oficiais do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social para confirmar a elegibilidade para o benefício e para os valores adicionais do Bolsa Família.

Os pagamentos são efetuados pela Caixa Econômica Federal, através do aplicativo Caixa TEM, que pode ser baixado gratuitamente em dispositivos Android e iOS.

De acordo com a orientação do governo federal, é crucial que as informações no CadÚnico sejam precisas. Para atualizar essas informações, é obrigatório visitar um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) na cidade de residência, com o CPF ou título de eleitor do chefe da família e dos outros membros.

Atualização no Cadastro Único

O Cadastro Único (CadÚnico) é uma ferramenta essencial para identificar e selecionar famílias em situação de vulnerabilidade social no Brasil. Através deste sistema, o governo pode direcionar políticas públicas e programas sociais, como o Bolsa Família, de maneira mais eficaz e eficiente. No entanto, para que o CadÚnico atenda ao seu propósito corretamente, é vital que as informações nele contidas estejam sempre atualizadas.

Além disso, a atualização dos dados é crucial para prevenir possíveis irregularidades e fraudes. Com informações desatualizadas, indivíduos que não se enquadram nos critérios de elegibilidade podem continuar recebendo benefícios indevidamente, prejudicando a eficácia dos programas sociais e quem realmente precisa.

Vale destacar que a responsabilidade de manter os dados atualizados no Cadastro Único é das próprias famílias. Para isso, é preciso visitar periodicamente um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) no município de residência e apresentar a documentação necessária.

É importante informar que a falta de atualização dos dados cadastrais pode resultar na suspensão dos benefícios concedidos pelo governo federal. Assim, as famílias beneficiadas por programas como o Bolsa Família e o Auxílio Gás devem manter as informações sempre atualizadas.