Loading...
0%

Proposta do Bolsa Família de Lula Implica em Mudanças para Beneficiários Solteiros

Proposta do Bolsa Família de Lula Implica em Mudanças para Beneficiários Solteiros

O Bolsa Família representa claramente um marco do Governo Federal brasileiro. A razão para isso é que esse programa de repasse financeiro reflete a dedicação do Brasil aos seus cidadãos mais vulneráveis. Atualmente, segundo os últimos dados da pesquisa realizada pelo Ministério de Desenvolvimento e Assistência Social (MDAS), vinte milhões de famílias se inscreveram ativamente no programa governamental.

No entanto, é crucial que um conjunto específico de beneficiados mantenha-se atento agora. Isso porque o MDAS introduziu recentemente novas regras voltadas para aqueles que moram sozinhos e se beneficiam do Bolsa Família. Siga adiante nesta leitura para descobrir detalhes essenciais e entender o que os lares de uma única pessoa precisam saber.

Eis as novas orientações associadas ao programa.

Ler também: Bolsa Família: Novas opções de empréstimo disponível pelo Caixa Tem

Para refrescar a memória, o Bolsa Família surgiu em 2003. Durante aquele período, o Brasil vivia o começo da primeira gestão presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva.

Dito isso, conseguimos avaliar a trajetória duradoura do Bolsa Família em território nacional. Claro que, um projeto desse porte, naturalmente passa por evoluções ao decorrer dos anos. No que tange ao suporte a famílias carentes, isso não é uma exceção.

Em 2021, a pedido do então presidente Jair Messias Bolsonaro, o programa mudou seu nome para Auxílio Brasil. Porém, essa modificação durou apenas cerca de dois anos. A causa desse retorno ao nome original é que, ao retomar o comando do Brasil pela terceira vez, o presidente Lula lançou uma Medida Provisória que resgatou o nome antigo do programa.

Porém, as mudanças não se limitaram ao título do programa. Em 2023, Lula também readicionou certas diretrizes antigas ao Bolsa Família. Atualmente, por exemplo, jovens devem manter suas vacinações em dia.

Da mesma forma, esse segmento da população precisa frequentar a escola mantendo um índice de presença de 75%. Outra regra que Lula trouxe de volta estipula que grávidas beneficiárias do Bolsa Família façam consultas pré-natais.

Entenda as orientações para os que moram sozinhos e recebem o Bolsa Família.

Ler também: Bolsa Família anuncia a introdução de cartões de débito para facilitar os pagamentos

No começo deste ano, o Governo Federal do Brasil iniciou uma análise detalhada do programa Bolsa Família. Esse movimento visava sondar possíveis inconsistências nos desembolsos ligados ao programa.

Desde o começo dessa revisão detalhada, mais de dois milhões de beneficiários tiveram seus pagamentos do Bolsa Família pausados. Uma grande parte desses números pertencia a lares de um único morador.

Para aqueles beneficiados que vivem sozinhos e ainda recebem o Bolsa Família, o Ministério de Desenvolvimento e Assistência Social acaba de lançar um aviso crucial. Agora, cidades por todo o Brasil podem alocar apenas dezesseis por cento do montante do Bolsa Família para os que moram sozinhos. Se uma cidade possuir uma porcentagem de lares de um indivíduo maior que dezesseis por cento, o governo barrará a adição de novos beneficiários ao programa.

Cronograma de pagamento do Bolsa Família

Agosto

  • 18 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 1;
  • 21 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 2;
  • 22 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 3;
  • 23 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 4;
  • 24 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 5;
  • 25 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 6;
  • 28 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 7;
  • 29 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 8;
  • 30 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 9;
  • 31 de agosto: Beneficiários cujo NIS acaba em 0.

Setembro

  • 18 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 1;
  • 19 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 2;
  • 20 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 3;
  • 21 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 4;
  • 22 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 5;
  • 25 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 6;
  • 26 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 7;
  • 27 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 8;
  • 28 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 9;
  • 29 de setembro: Beneficiários cujo NIS acaba em 0.