Universo dos Cartões
0%

Fraude do saque de valores esquecidos: Banco Central emite aviso.

Fraude do saque de valores esquecidos: Banco Central emite aviso.

O Banco Central emitiu um aviso sobre tentativas de fraude relacionadas ao serviço de resgate de dinheiro não reclamado. Golpistas têm enviado mensagens via WhatsApp ou SMS, se passando pelo órgão e oferecendo ajuda para recuperar dinheiro do SVR (Sistema de Valores a Receber).

O Banco Central esclarece que não envia mensagens por meio de apps de mensagens ou SMS a respeito dos valores a serem recebidos. Ademais, as consultas ao SVR estão atualmente interrompidas, e ainda não há uma data definida para o início da segunda fase do programa.

Qualquer pessoa que receba tais mensagens deve deletá-las imediatamente e evitar clicar em quaisquer links, que podem resultar em roubo de dados ou levar a fraudes.

O serviço, que está suspenso desde abril deste ano, ainda tem R$ 4,6 bilhões esquecidos em instituições financeiras aguardando devolução. Deste montante, R$ 3,6 bilhões pertencem a 32 milhões de indivíduos, e R$ 1 bilhão, a 2 milhões de empresas.

“A consulta ao SVR está momentaneamente paralisada. O cronograma, as estimativas de valores e outras informações a respeito da nova fase do SVR serão divulgados devidamente e com antecedência”, informou a instituição em comunicado.

Atualizações

Conforme o Banco Central, novas informações recebidas de instituições financeiras serão processadas e disponibilizadas aos clientes assim que o SVR for reativado. A instituição também revelou que está trabalhando em melhorias no sistema, como a adição de novos tipos de valores e a possibilidade de saque por herdeiros e representantes legais de falecidos.

Quando o sistema for retomado, herdeiros, testamenteiros, inventariantes ou representantes legais de pessoas falecidas poderão consultar a existência de valores não reclamados e receber orientações sobre como resgatar o dinheiro. Eles precisarão aceitar um termo de responsabilidade antes de realizar a consulta.

A inclusão de pessoas falecidas no SVR chegou a ser anunciada pelo Banco Central no início do ano, mas foi interrompida devido a uma greve na instituição, que durou de abril a julho.

Outra inovação será a introdução de uma fila de espera virtual para acessar o SVR. Este recurso substituirá o sistema de acesso programado (com dia e hora marcados), que estava em vigor na primeira versão do sistema.

O que são os valores não reclamados?

O SVR (Sistema de Valores a Receber) informa se você tem algum valor pendente em bancos e outras instituições. Na primeira fase do SVR, foi possível consultar valores de:

  • Contas correntes ou poupanças encerradas, com saldo disponível.
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relacionadas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a restituição esteja prevista em termo de compromisso assinado pelo banco com o BC.
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito.
  • Recursos não procurados referentes a grupos de consórcio encerrados

O que o sistema não mostra

  • Ajustes de planos econômicos;
  • Acordos ou valores em disputa judicial;
  • Instituições financeiras ou administradoras de consórcios liquidadas ou encerradas;
  • Valores de abono salarial (PIS ou Pasep);
  • Saldo em conta do FGTS;
  • Contas abertas que estão inativas;
  • Contas sem identificação completa e que não foram recadastradas até dezembro de 1994.