Bolsa Família prevê investimento de R$ 168 bilhões em 2024; veja informações

Bolsa Família prevê investimento de R$ 168 bilhões em 2024; veja informações

O Governo Federal planeja alocar R$ 168 bilhões ao Bolsa Família em 2024. Segundo o planejamento do Orçamento 2024, o governo pretende destinar essa quantia ao principal programa social do país.

O Benefício representa um marco para o Partido dos Trabalhadores (PT), partido ao qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pertence. Por esse motivo, o governo constantemente prioriza esse benefício anualmente.

Se o valor proposto para o benefício for confirmado, ele será similar aos R$ 168,7 bilhões disponibilizados este ano. Isso indica que os beneficiários do Bolsa Família provavelmente manterão os pagamentos equivalentes aos de 2023.

Haverá reajuste no Bolsa Família em 2024?

Ler também: Verifique se você foi aprovado no Bolsa Família 2023. Aprenda como consultar.

Em suma, não existe uma confirmação oficial sobre um reajuste no Bolsa Família. Adicionalmente, o governo ainda não indicou alterações no valor limite, atualmente em R$ 218, que determina a elegibilidade para o benefício.

Vale destacar que famílias com renda mensal por indivíduo até 218 reais atendem ao critério financeiro para participar do programa. A tendência é que esse valor se ajuste, já que o salário da população geralmente tem aumentos anuais, influenciados pelos ajustes do salário mínimo. Porém, não existem atualizações oficiais sobre um possível reajuste.

Quais são os critérios para reajuste do benefício?

O reajuste do Bolsa Família se baseia em diversos aspectos. Um desses aspectos envolve a análise das informações dos beneficiários no Cadastro Único (CadÚnico). Em resumo, o governo verifica todas as informações para assegurar que apenas famílias realmente necessitadas e que atendem aos critérios recebam o auxílio.

O governo ainda avalia o número de famílias que necessitam do benefício para ter uma vida digna. Portanto, quanto mais famílias dependem do Bolsa Família, mais desafiador se torna aumentar seu valor, uma vez que o orçamento do programa precisa crescer proporcionalmente.

Previsão de aumento até 2025

Mesmo sem informações concretas sobre reajustes no Bolsa Família, especialistas preveem uma atualização até 2025. Vale lembrar que o programa foi reintroduzido em março deste ano, depois de ser descontinuado durante o mandato do ex-presidente Jair Bolsonaro. Uma das atualizações estabelece que o benefício deve ser revisado a cada 24 meses.

Dado que os valores atuais completarão dois anos em março de 2025, esse é o prazo final para o governo considerar alterações nos montantes oferecidos.

Valor proposto para o Bolsa Família é inferior ao prometido

A quantia que o governo pretende destinar ao Bolsa Família em 2024 assemelha-se à deste ano. No entanto, em ambas as situações, os valores são inferiores ao prometido por Lula durante o anúncio da reintrodução do programa.

Em resumo, Lula obteve a aprovação de uma PEC no Congresso que estipulava um orçamento de R$ 175,7 bilhões para o Bolsa Família em 2023. Vale mencionar que a aprovação ocorreu em dezembro de 2022, antes de Lula tomar posse.

No entanto, a equipe financeira do governo reteve R$ 7 bilhões destinados ao Bolsa Família, buscando reduzir despesas, pois as projeções fiscais não eram otimistas.

Diante desse cenário, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) tem utilizado os recursos disponíveis para cumprir os pagamentos do Bolsa Família.

Situação da lista de espera do Benefício

Com um orçamento mais robusto, o governo poderia eliminar a lista de espera. Em resumo, isso ocorreu em março, durante a reintrodução do Bolsa Família. No entanto, a demanda aumentou e, em junho, quase 1 milhão de pessoas aguardavam.

Em julho, o número caiu para 494 mil, mas ainda é considerável. Notavelmente, o governo tem como objetivo encerrar o ano sem lista de espera, ou seja, sem beneficiários aguardando aprovação.

Em declaração ao jornal Folha de S.Paulo, Eliane Aquino, secretária Nacional de Renda de Cidadania, esclareceu que o MDS avalia a necessidade de desbloquear verbas para o Benefício. Ela mencionou que, até o momento, não foi feito esse pedido, mas isso pode ocorrer se necessário.