Universo dos Cartões
0%

Aposentadoria e Bolsa Família: A combinação é permitida? Veja as regras!

Aposentadoria e Bolsa Família: A combinação é permitida? Veja as regras!

Se você desfruta da aposentadoria do INSS, provavelmente já questionou sobre a compatibilidade entre sua aposentadoria e o Bolsa Família, um programa subsidiado pelo governo.

Muitos aposentados, especialmente aqueles com o menor benefício do INSS (equivalente a um salário mínimo), frequentemente ponderam se sua aposentadoria sozinha consegue cobrir todos os gastos e proporcionar uma vida digna.

De fato, aposentados têm a opção de acessar múltiplos benefícios simultaneamente.

Contudo, a elegibilidade para combinar benefícios depende da natureza do benefício que o aposentado atualmente desfruta, já que existem critérios para recebê-los de forma conjunta.

Você se pergunta se pode combinar o Bolsa Família com sua aposentadoria? Primeiramente, é fundamental distinguir entre benefício previdenciário e benefício assistencial.

Então, por que essa categorização é importante?

Ler também: Saque do Bolsa Família sem Documentos choca brasileiros

Benefícios previdenciários recompensam aqueles que contribuíram para o sistema de previdência social ou que fizeram depósitos no INSS. Nesse grupo, encontramos trabalhadores com carteira assinada, freelancers, empregados domésticos e trabalhadores temporários.

Alguns exemplos desses benefícios são:

  • Auxílio para incapacidade temporária;
  • Aposentadoria por invalidez permanente;
  • Salário-maternidade;
  • Salário-família;
  • Benefício por falecimento;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio a detentos.

Por outro lado, os benefícios assistenciais atendem àqueles com baixa renda que não contribuíram o suficiente para se qualificar para benefícios previdenciários. O Benefício de Prestação Continuada (BPC), por exemplo, foca em idosos e pessoas com deficiência em situação vulnerável.

O Bolsa Família, como o BPC, enquadra-se como benefício assistencial. Contudo, enquanto o BPC e o Bolsa Família possuem critérios semelhantes, diferem no teto de renda per capita.

Para se qualificar ao Bolsa Família, você deve:

  • Apresentar uma renda familiar de até R$ 218,00 por membro;
  • Registrar-se no CadÚnico e atualizar seus dados bianualmente.

Já o BPC destina-se a indivíduos:

  • Acima de 65 anos e que ainda não se aposentaram, ou;
  • Com algum tipo de deficiência, de qualquer idade, que enfrentem barreiras físicas, mentais, intelectuais ou sensoriais a longo prazo;
  • Devidamente registrados e atualizados no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Tendo compreendido as diferenças, agora podemos discutir sobre a possibilidade de combinar benefícios.

Pode-se combinar benefícios previdenciários com o Bolsa Família?

Sim, você, como aposentado, pode solicitar o Bolsa Família, desde que a renda per capita registrada no seu CadÚnico atenda ao limite estipulado pelo programa.

Para ter direito, a renda familiar total, quando dividida pelo número de membros, deve ser inferior a R$ 218,00.

E em relação ao BPC?

Aqui, o cenário diverge. Aposentados pelo INSS não são elegíveis ao BPC.

Aposentados também não podem acumular duas aposentadorias (do mesmo regime), salário-maternidade, auxílio-acidente, auxílio por incapacidade temporária e auxílio a detentos.

No entanto, diferentes membros da mesma família podem combinar BPC e outros benefícios previdenciários, como:

  • Aposentadoria;
  • Benefício por falecimento;
  • Auxílio por incapacidade temporária;
  • Aposentadoria por invalidez permanente;
  • Salário-maternidade;
  • Salário-família;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio a detentos.

Como determinar se sua aposentadoria e o Bolsa Família são compatíveis?

Lembre-se de que cada programa assistencial possui critérios específicos, além da renda per capita.

Você, enquanto aposentado e cidadão, deve atender a esses critérios para acessar o Bolsa Família.

A seguir, vejamos quais são!

O Cadastro Único serve como gateway para o Bolsa Família.

O CadÚnico coleta dados para ajudar o governo federal a identificar e atender às famílias de baixa renda. Através desta plataforma, o governo escolhe os candidatos para seus programas sociais.

Como registrar-se no CadÚnico?

Dirija-se ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou à prefeitura de seu município. Lá, forneça informações sobre renda e composição familiar.

Certifique-se de levar documentos como CPF, RG, comprovante de residência e certidão de nascimento dos familiares.

O CadÚnico inclui:

  • Famílias com renda mensal per capita de até meio salário mínimo ou;
  • Famílias cuja renda total não ultrapasse três salários mínimos, além daquelas acima desses limites, mas vinculadas a programas ou benefícios que requerem registro no CadÚnico.

Ao participar, o governo avaliará:

  • Renda familiar;
  • Despes

as como energia, água, aluguel, dentre outras;

  • Condições de moradia;
  • Nível educacional;
  • Trabalho e renda;
  • Características do domicílio.

Lembre-se: para participar do Bolsa Família, a renda per capita deve ser menor que R$ 218,00, e você deve atender aos critérios sociais e de saúde.

Critérios como:

  • Ter crianças de 0 a 7 anos com o calendário de vacinação em dia;
  • Garantir a frequência escolar de 85% para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos;
  • Garantir a frequência escolar de 75% para adolescentes de 16 e 17 anos;
  • Fazer pré-natal, caso haja gestantes na família;
  • Participar de atividades educativas sobre aleitamento materno e alimentação saudável.

Manter a informação atualizada é fundamental.

Não se esqueça de atualizar seus dados no CadÚnico a cada dois anos ou sempre que houver alteração na composição familiar, renda ou endereço.

Caso contrário, você pode ter o benefício cancelado.

Estando de acordo com os critérios e com os dados atualizados, você, como aposentado, tem grandes chances de ser beneficiário do Bolsa Família.

Bolsa Família: compromissos que envolvem saúde e educação

Ler também: Reestruturação do Bolsa Família? Compreenda as modificações com a atual MP

Apenas porque se qualifica hoje, não significa que manterá a elegibilidade eternamente. Eventualmente, o governo pode revisar seu status e determinar que você não mais atende aos critérios.

O Bolsa Família tem o objetivo de fornecer uma renda mínima e garantir o acesso à educação e saúde.

O programa não visa substituir salários ou aposentadorias, mas sim ser um complemento para auxiliar famílias a superar a pobreza.

Assim, ao receber sua aposentadoria e o Bolsa Família simultaneamente, você está simplesmente aproveitando os recursos disponíveis para melhorar sua qualidade de vida.

A aposentadoria do INSS não o impede de acessar outros benefícios, como o Bolsa Família. O principal critério é a situação econômica da família como um todo.

Se você acredita que sua família atende aos critérios, vale a pena explorar essa opção e buscar o CRAS mais próximo para obter informações e iniciar o processo de inscrição.