Loading...
0%

Advogada é presa acusada de desviar 700 mil em golpes fraudulentos, diz Polícia Civil

Advogada é presa acusada de desviar 700 mil em golpes fraudulentos, diz Polícia Civil

Na manhã da última terça-feira (12), a Polícia Civil realizou uma operação em Palmas – To, que resultou na prisão de uma advogada em cumprimento a um mandado de prisão preventiva.

Ela é acusada de aplicar golpes fraudulentos, emitindo falsas guias de pagamento e utilizando procurações para adquirir valores que, supostamente, eram destinados aos seus clientes.

As acusações contra a advogada

As investigações sugerem que a advogada, identificada como Flávia, desviou cerca de R$ 700 mil. Sua defesa afirmou que não se manifestará sobre o caso, alegando que o processo está em segredo de Justiça.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informa que Flávia está com seu registro profissional suspenso por decisão do Tribunal de Ética e Disciplina, o que a proíbe de exercer a advocacia.

De acordo com a matéria do G1 teve acesso a três das quatro denúncias contra a advogada que foram levadas à Justiça. A quarta denúncia está em sigilo.

Os casos denunciados

Em um dos casos, o cliente contratou a advogada para representá-lo na realização de um acordo referente a pagamentos atrasados pela compra de um lote. Flávia teria orientado o cliente a fazer pagamentos das prestações pendentes em juízo. Ele pagou R$ 32.400,00, acreditando que estava cumprindo acordos com a empresa vendedora. Contudo, após mais de dois anos, a pendência continuava e a vítima teve que contratar outro advogado para resolver a situação, descobrindo que nunca houve uma ação judicial sobre o caso.;

Outra denúncia envolve uma ação trabalhista. A empresa deveria pagar um total de R$ 14.684,78 à ex-funcionária, com os pagamentos sendo realizados em juízo. Descobriu-se, porém, que a advogada recebeu os pagamentos mas não repassou nada à cliente.

Um terceiro caso também se refere a uma ação trabalhista. A advogada recebeu um valor de R$ 15.559,32 para representar a cliente, mas não repassou a quantia à vítima. Nesse caso, a advogada chegou a devolver parte do dinheiro, mas como não pagou o total, a cliente registrou ocorrência contra Flávia.

Nos três casos, a advogada foi denunciada por apropriação indébita, além de responder por crimes de estelionato e falsidade ideológica.

Investigações seguem

Além desses casos, a polícia investiga se ela fez vítimas em outros estados e a participação de outra advogada nos crimes. A OAB e o Tribunal de Ética e Disciplina da OAB do Tocantins confirmam que a advogada Flávia Paulo dos Santos Oliveira Ribeiro encontra-se com seu exercício profissional suspenso.

Imagem: Pixabay